O que é a Acropole XXI

Segundo se lê no Relatório de actividades da Câmara Municipal de Évora 2008, «A candidatura denominada Acrópole XXI, promovida pela CME, é subscrita por dez instituições da cidade que se unem numa parceria com vista à intervenção integrada no núcleo urbano da cerca velha do Centro Histórico de Évora (onde se situam os monumentos mais importantes e simbólicos da cidade).

As entidades envolvidas são, para além da CME, a Fundação Eugénio de Almeida, Biblioteca Pública de Évora, Évora Viva SRU, Associação Comercial do Distrito de Évora, Universidade de Évora, Direcção Regional de Cultura do Alentejo, Cabido Catedralício de Évora, Museu de Évora e Sitee – EM.
Pretende-se revitalizar esta zona da cidade através da promoção de acções de regeneração urbana, acompanhadas da dinamização da actividade económica do comércio tradicional, do turismo, do património e da cultura. Esta candidatura prevê mais de duas dezenas de projectos de investimento e animação, ao longo de três anos, cujo valor é superior a dez milhões de euros.»

Tendo em conta a importância das instituições envolvidas e as suas responsabilidades na preservação e valorização do património da cidade, será de esperar que os projectos da Acrópole XXI sejam cuidadosamente acompanhados e que respeitem as características históricas, identitárias e vivenciais das zonas em causa. O projecto de intervenção para o espaço público e equipamento urbano da zona envolvente do Templo Romano é, certamente, o mais significativo, e por isso merecedor de redobradas atenções. O Grupo Pro-Évora não abdica dedefender os valores patrimoniais que considera fundamentais e de criticar o seu desrespeito.